domingo, 21 de agosto de 2016

EVANGELHO SÃO LUCAS 14,1.7-14 22º DOMINGO DO TEMPO COMUM ANO "C" 2016 Leituras: 1ª Eclo 3,19-20.30-31; Sl 67 ; 2ª He 12,18-19.22-24a - Cor verde ANO DA MISERICORDIA -- Liturgia p/28/08/2016


                            A HUMILDADE EVANGÉLICA! Lc 141.7-14




1 Aconteceu que, num dia de sábado, Jesus foi comer na casa de um dos chefes dos fariseus. E eles observavam. 7 Jesus notou como os convidados escolhiam os primeiros lugares. Então contou-lhes uma parábola:8 Quando tu fores convidado para uma festa de casamento, não ocupes o primeiro lugar. Pode ser que tenha sido convidado alguém mais importante do que tu,9 e o dono da casa, que convidou os dois, venha te dizer: Dá o lugar a ele. Então tu ficarás envergonhado e irás ocupar o último lugar.10 Mas quando tu fores convidado, vai sentar-se no último lugar. Assim, quando chegar quem te convidou, te dirá: Amigo, vem mais para cima. E isso vai ser uma honra para ti diante de todos os convidados.11 “Porque quem se eleva, será humilhado e quem se humilha, será elevado”.12 E disse também a quem o tinha convidado: “Quando tu me deres um almoço ou um jantar, não convides teus amigos, nem teus irmãos, nem teus parentes, nem teus vizinhos ricos. Pois estes poderiam também convidar-te e isto já seria a tua recompensa.13 Pelo contrário, quando deres uma festa, convida os pobres, os aleijados, os coxos, os cegos. 14 Então tu serás feliz. Porque eles não podem retribuir. Tu receberás a recompensa na ressurreição dos justos”.

-Palavra da salvação
-Glória a vós, Senhor!



Queridos irmãozinhos, Igreja povo de Deus, a liturgia deste Domingo gira em torno desta frase do Evangelho: “Todo aquele que se exaltar será humilhado, e todo aquele que se humilhar será exaltado” (Lc 14,11); o Senhor nos fala da verdadeira honra, que só Deus pode nós dar.

 Foi num dia de Sábado, Jesus foi convidado a um banquete na casa de um ricaço fariseu, não sabemos se a festa era de bodas ou não.Os judeus tinham por prioridade em todas as refeições, fazerem orações e as leituras dos textos sagrados.

 As homilias, os comentários dos textos, eram muitas vezes designado, a ilustre convidado do anfitrião. Desta vez Jesus é o convidado de honra do chefe dos fariseus; eles o observam com intuito de arranjar acusações contra Ele.


 Nosso Senhor aproveitou na sua homilia, falar daquilo que é mais importante na sua missão, falar dos pobres, dos excluídos e dos marginalizados.

 Ensinando que é preciso acolher os pobres, os excluídos e os deserdados, pois sempre será causa preocupante, quando falamos do Reino de Deus. “Pois aos pobres pertence ao Reino de Deus!” ( Mt 16,24)

No tempo de Jesus, muitos se preocupavam-se em pertencer as natas das elites da alta sociedade judaica, com isso serem recompensados e retribuídos com as gentilezas e cobrir as aparências egoístas.

 Na mensagem do Evangelho de hoje, o Senhor está nos dizendo que os convites  egoístas, e interesseiros do mundo, atingirão seu pagamento neste mundo e nesta vida, pois pertencem a este mundo.

 Todas as vaidades desse mundo passarão, não poderão ser alicerces para o Reino do Céu, a não ser o cuidado, o bem em favor dos pobres e dos oprimidos. As gentilezas ao próximo, o perdão mútuo; sim por causa de Nosso Senhor Jesus Cristo que nos amou ao extremo! 

 O Jesus, na sua homilia, critica os conceitos de honras, baseado no orgulho da ambição, que geram aparências de justiça, mas escondem contrastes sociais, dos pobres oprimidos e marginalizados.

 A verdadeira honra do homem, depende-se de Deus que é Pai. Seu discurso dá se entender, que a novidade do Reino  de Deus está no modelo de convidados, e na recompensa escatológica final! (Mt 25,31-46)

 É preciso haja mudanças no nosso coração, e não etiquetas sociais, que podem marginalizar o nosso próximo, e não importar se vamos ser recompensados um dia neste mundo.

 O nosso prêmio está esperando por nós no céu; Jesus é nossa confiança, nossa garantia, receberemos esta honra, no dia final, quando o Senhor vier em glória, arrebatar sua Igreja ressuscitada.

Nosso Senhor deixa claro no seu discurso aos fariseus, que os pobres, os mutilados, os coxos, os cegos, os doentes, farão parte da primazia do grande banquete do Reino do Céu.

Isto é, serão os primeiros a adentrar na misericórdia do amor do Pai. O ato de amor e misericórdia, não pode ser escravizado pelo egoísmo e corações pretensiosos insensíveis. Quem dá aos pobres empresta a Deus.

Na liturgia de hoje, a primeira leitura do Eclesiástico reforça o tema da homilia, o “dom da humildade”. Vamos orar evocando o Senhor, dizendo: “Jesus manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao vosso!”

A palavra do Senhor nos diz: pois quanto mais fores elevado, mais te humilharás em tudo e perante Deus acharás misericórdia. (Eclo3,19-21. 1.30-31)


À primeira vista quando lemos o texto, parece que Jesus está nos dando uma aula de etiqueta social, ou uma norma de boa educação; que muitas vezes não são praticados em nossas próprias paroquias e comunidades.

 Existe um proverbio bíblico que diz assim: “Não te faças pretensioso diante do rei, não te ponhas no lugar dos grandes.

 É melhor que digam: “Sobe aqui!”, do que seres humilhado diante de um personagem. (Pr 25,6-7)

Nos lábios do divino Mestre a perspectiva muda radicalmente e também aquele palavra de sabedoria torna-se “palavra de vida eterna”.

 É claro que todos nós somos seres humanos e pecadores, estamos no mundo, vivemos esta realidade, pisamos este chão, estamos no mundo.

 Precisamos de normas sociais e espirituais para vivermos bem com a sociedade e com nossos irmãos enquanto estivermos aqui.

 Somos seres racionais e espirituais, a religião nós religa com Deus! Nossa realidade ainda é terrena, mas o espiritual prá valer, está por-vir: “a eternidade”. Jesus disse na sua grande oração sacerdotal:

 “Já não estou no mundo, enquanto eles estão no mundo; eu vou para ti, Pai Santo; guarda-os no teu nome, os filhos que me destes, para que sejam um como nós!” ( Jo 17,11)

Para Nosso Senhor o tema deste Evangelho, se trata do banquete escatológico. Entre as escolhas pretensiosas do primeiro lugar a mesa, por parte dos convivas e a intervenção do dono da festa.

Jesus está nos falando do juízo universal quanto aquele “dia final” do acerto de  contas no tribunal do Senhor.



 A relação não está entre homem e homem, mas entre o homem e Deus, e isto dá um significado totalmente diferente à parábola evangélica.

 Jesus conclui a parábola: “Porque todo aquele que exaltar será humilhado e todo aquele que se humilhar será exaltado”. O que significa humilhar-se?

Se esta pergunta fosse feita a um grupo cristão, teríamos muitas respostas diferentes: O marido diria não ser prepotente em casa; a mulher diria não responder, se calar, ceder; a jovem diria não ser vaidosa.

 O Padre diria que se humilhar seria sentir e falar discretamente de si, reconhecer-se pecador, fazer penitência. Todas estas respostas contém algo de verdade, mas pouco. 

São  respostas superficiais, não tocam o verdadeiro âmago do problema. Para descobrir a verdadeira humildade é preciso, como sempre, perguntar a Jesus.

 Jesus nos diz: “Recebei minha doutrina, porque sou manso e humilde de coração (Mt 11,29) ; esta frase de Jesus nos surpreende, deve nos surpreender; onde se encontra a humildade de Jesus?

 Em todo o Evangelho, não se nota, em seus lábios, nem a mínima admissão de culpa; pelo contrário, afirma com todas as letras: “Quem de vós me acusará de pecado? ( Jo 8,46)

Jesus é provavelmente, o único Homem que passou nesta terra sem nunca admitir ter errado, nem em seu íntimo, sem pedir perdão de nada a ninguém, nem mesmo a Deus; sua consciência é como cristal.

 Jesus é o mediador perfeito da Nova Aliança que Deus fez com a humanidade. Ele se identificou com os humildes e fracos.

 Hoje a palavra do Senhor, nos convida a termos atitudes diferentes, cultivando a virtude da humildade, afim de encontrarmos a graça do Senhor, conforme Ele nos ensinou.

 Cantemos hoje com alegria o responsório da ressurreição dos justos: “Com carinho preparastes uma mesa para o pobre!” Amém!

Jesus é o Senhor!

FONTES: TEXTO ELABORADO DA HOMILIA DE RANIERO CANTALAMESSA; EVANGELHO SÃO LUCAS 14,1.7-14 22º DOMINGO DO TEMPO COMUM ANO “C”; Lit. “O VERBO SE FAZ CARNE” Pg.714-720 Tema: “A HUMILDADE EVANGÉLICA” – Livreto litúrgico: “DEUS CONOSCO dia a dia” Pg107-109; EVANGELHO SÃO LUCAS 14,1.7-14 22º DOMINGO DO TEMPO COMUM ANO “C”2016 ANO DA MISERICÓRDIA! Reviu o texto do blog “Jesus é o Senhor!” Agosto 2013 - Ano da Fé – BÍBLIA DO PEREGRINO






Nenhum comentário:

Postar um comentário