domingo, 20 de dezembro de 2015

EVANGELHO SÃO LUCAS 2,41- 52 - FESTA DA SAGRADA FAMÍLIA - JESUS MARIA E JOSÉ - COR BRANCA -ANO LITÚRGICO "C" -- LITURGIA P/27/12/2015

             SAGRADA FAMÍLIA DE NAZARÉ!
                                                  

41Os pais de Jesus iam todos os anos a Jerusalém, para a festa da Páscoa.42 Quando ele completou doze anos, subiram para a festa, como de costume.43 Passado os dias da Pascoa, começaram a viagem de volta, mas o menino ficou em Jerusalém, sem que os pais notassem.44 Pensando que ele estivesse na caravana, caminharam um dia inteiro. Depois começaram a procura-lo entre os parentes e conhecidos.45 Não tendo encontrado, voltaram a Jerusalém à sua procura.46 Três dias depois, o encontraram no templo. Estava sentado no meio dos mestres, escutando e fazendo perguntas.47 Todos os que ouviam o menino estavam maravilhados com sua inteligência e sua respostas.48 Ao vê-lo seus pais ficaram muito admirados e sua mãe lhe disse: "Meu filho porque agiste assim conosco? Olha que teu pai e eu estávamos angustiados, à tua procura.49 Jesus respondeu: "Porque procuráveis? Não sabeis que devo estar na casa de meu Pai?50 Eles, porém, não compreenderam as palavras que lhes dissera.51 Jesus desceu então com seus pais para Nazaré, e era obediente. Sua mãe, porém, conservava no coração todas estas coisas.52 E Jesus crescia em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e diante dos homens. Lc 2,41-52

Palavra da salvação.
Glória a vós, Senhor!  
   
     
Queridos irmãozinhos, povo da igreja do Senhor, estamos neste Domingo, comemorando a festa da Sagrada Família de Nazaré: Jesus, Maria e José. A Sagrada Família deveria ser para todas as  famílias um sinal de santidade e imitação; ícone da harmonia e da paz nestes tempos tão perturbados pela violência e a falta de amor.

Vejam, quanta beleza é a família, nela está a estrutura humana da criação de Deus, pois sem ela seria impossível a vida inteligente terrestre, que pode observar a vida, a lei da natureza, a ordem que regem e multiplica as coisas. Nela Deus criou o homem e o coroou no ápice da criação, para ama-lo e servi-lo. Mas o Homem no seu orgulho, escutou a voz das trevas, foi infiel a Deus, caiu na desgraça do pecado.

Lucas inicia, o Evangelho deste Domingo dizendo, que os pais de Jesus, todos os anos, iam em peregrinação ao templo, em Jerusalém, para a festa da páscoa, pagar seus votivos, em agradecimento das bençãos do Senhor, conforme um bom judeu observava as leis de Moisés. Dt 16,16-17

Jesus tinha doze anos de idade, nesta idade um jovem judeu, deve realizar a cerimônia do Bar Mizvah. ( filhos do mandamento). Com o rito do Bar Mizvah os jovens entravam para o mundo dos adultos: passando e serem responsáveis diante de Deus, da comunidade das pessoas e suas tradições. 

Ali na carpintaria de seu pai em Nazaré, aprendeu tudo de bom, com seus pais e vizinhos. A solidariedade, a fidelidade, observar os campos, as montanhas os pássaros, a natureza, viu e sentiu com os pobres e os marginalizados, a falta de justiça. Aprendeu falar de maravilhosas parábolas, nos seus ensinamentos o jovem Mestre Divino.

Com doze anos o adolescente Jesus, chegou a sua maturidade religiosa e civil. Agora, Ele podia ler as Escrituras e a Torá nas sinagogas diante da comunidade reunida. Por isso e que ele estava sentado, no meio dos doutores da lei, no templo, escutando e fazendo perguntas. Os escribas e os fariseus estavam admirados de verem tanta sabedoria, no jovem Jesus.


 O Evangelista Lucas apresenta as primeiras palavras de Jesus à Igreja: "Não  sabíeis que eu tenho que estar na casa do meu Pai? Significa que: um dia "terá que" deixar a todos e voltar a "seu Pai". Revela a sua condição divina, de ressuscitado e glorificado - Á luz da morte e ressurreição e glorificação de Jesus é que este texto adquire pleno sentido".

A primeira vista o Evangelho de hoje parece ser um episódio corriqueiro, um casal perdeu seu filho no meio da multidão, numa cidade grande daquele tempo, como Jerusalém, cheia de peregrinos, que vinham de todas as partes do mundo.

 Depois de um dia de caminhada de volta para casa se dão pela falta de Jesus, constatando que não estava com os familiares e amigos, empreenderam imediatamente, caminhada de volta a Jerusalém a procura do filho.

Como será que estava o coração de Maria diante da falta do filho..? E de José..? Como será que foi o diálogo, de Maria e José diante dessa situação? Mas Maria tinha a graça da calma e do equilíbrio, pois sabia em seu coração que Deus estava constantemente com seu filho, nada de mal ia acontecer com seu menino, mas um coração de mãe fica afrito e se preocupa.

O Evangelista Lucas, não está preocupado, em mostrar os acontecimentos, brutos e históricos, da perda do menino Jesus, pelos pais em Jerusalém, mas pelo contrário, seus textos escondem uma teologia, ou se quisermos uma catequese de ensinamento não vai dizer que o jovem Jesus "se perdeu" em Jerusalém, mas sim, "Ele se encontrou-se" com sua missão.

Qual é a missão de Jesus o Filho de Deus..? É revelar o rosto misericordioso de Deus, e resgatar o ser humano decaído pelo  mal do pecado. José e Maria, três dias de procura, perguntado as pessoas se tinham visto um menino com as seguintes características, mas ninguém lhes dava um alento do paradeiro de Jesus. Estavam afritos, perdidos e confusos, só lhes restava procura-lo no templo.

Um pai perder um filho ou filha é uma dor das maiores. Hoje, milhões de crianças, adolescentes estão perdidos para lares desfeitos, a exploração sexual, as libertinagens, as drogas, a violência, o trafico que roubam nossas crianças, o desespero da guerra no Oriente, que matam e mutilam os inocentes.

 A fuga dos pais, fugindo da guera e da miséria com seus filhinhos deixando suas Pátrias em busca do desconhecido, faz nos lembrar, a Sagrada Família de Nazaré, quando fugiram do rei Erodes para o Egito, para salvar seu filho Jesus.

Podemos imaginar, a cena e a alegria de Maria e José, ao encontrar o Menino Jesus no templo, sentado no meio dos doutores. Que maravilha..! Jesus fazia perguntas, ouvia os letrados nas escrituras, fazia exegeses e hermenêuticas.

 Os escribas e doutores da lei estavam perplexos, maravilhados, diante de tanta sabedoria daquele menino. Confusos e perdidos, podiam estar José e Maria, mas Jesus não..! A Mãe angustiada diz ao filho: Porque fizestes isso? Vê: teu pai e eu te procurávamos angustiados.

Jesus replicou: Não sabíeis que tenho que estar na casa do meu Pai? José e Maria não entenderam o que lhes disse Jesus. Mas nas palavras de Jesus e Maria está o essencial, o mais importante ensinamento do Evangelho. Jesus sabe qual é a missão: cuidar da vontade do Pai do céu, a missão que Ele lhe confiou.

 A plena identidade de Jesus, como Filho de Deus e salvador, será revelada, no alto da cruz, na sua paixão e morte. Mas Ele ressurgirá depois de três dias no ades, glorioso, impassível: Jesus é o Senhor da da nossa salvação, e da nossa esperança eterna. 

Concluindo nossa reflexão, Nosso Senhor passou sua infância e adolescência, em Nazaré da galileia, foram trinta anos de anonimato, mas neste tempo com seus pais, Ele crescia na graça e estatura o Filho de Deus.

 Mas aos  trinta anos, o jovem mestre aparece novamente, grande e maravilhoso, pregando o Reino de Deus e convidando o mundo a conversão. "Convertei-vos e credes no Evangelho, o Reino de Deus chegou!( Mc 1,15) Jesus é o Senhor! Amém!

Jesus é o Senhor!

FONTES: TEXTOS ELABORADOS DA HOMILIA DE RANIERO CANTALAMESSA - EVANGELHO SÃO LUCAS 2,41-52  - TEMA:  FESTA DA SAGRADA FAMÍLIA ANO "C" - FOLHETO LITÚRGICO: DEUS CONOSCO dia a dia Pg 104-106 - ANO "C" ANO LITÚRGICO 2016 - ROTEIROS HOMILÉTICOS BORTOLINI Pg 514-517 TEMA: SAGRADA FAMÍLIA ANO LITÚRGICO "C" -  "BÍBLIA DO PEREGRINO"






















Nenhum comentário:

Postar um comentário